Fragmentos Móveis

A absurda remuneração dos professores terça-feira, 24 abril, 2007

Filed under: Educação — fragmentosmoveis @ 2:11 pm

Todos nós sabemos que professor ganha pouco.
Mas agora estamos sabendo que com o novo Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE), lançado hoje pelo governo Lula, os professores de educação básica “finalmente” terão um piso salarial de…. R$ 850,00!
Mas isso demorará para atingir todos os professores brasileiros. A implantação será gradual
até 2010, para não afetar o orçamento de Estados e prefeituras! Com isso, deverão ser prejudicados justamente os professores dos estados mais pobres, com orçamento menor.
É por isso que os professores estão em campanha pelo reajuste salarial imediato e pelo piso do DIEESE (R$ 1.620,89 em fevereiro)!
É por isso que professores de todo o país fazem todo ano uma Marcha em Defesa da Educação Pública, cujo tema em 2007 é o piso salarial nacional. É falacioso falar em “novo século da educação” sem um salário dignos para os profissionais da educação. Se “
nada é mais importante hoje que a capacitação dos brasileiros para construir e consolidar participação do Brasil no mundo“, conforme disse o presidente Lula, é imprescindível que a tarefa seja feita por profissionais bem remunerados e qualificados (mas esse é outro capítulo a desenvolver!).

Anúncios
 

A absurda remuneração dos professores

Filed under: Educação — fragmentosmoveis @ 2:11 pm

Todos nós sabemos que professor ganha pouco.
Mas agora estamos sabendo que com o novo Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE), lançado hoje pelo governo Lula, os professores de educação básica “finalmente” terão um piso salarial de…. R$ 850,00!
Mas isso demorará para atingir todos os professores brasileiros. A implantação será gradual
até 2010, para não afetar o orçamento de Estados e prefeituras! Com isso, deverão ser prejudicados justamente os professores dos estados mais pobres, com orçamento menor.
É por isso que os professores estão em campanha pelo reajuste salarial imediato e pelo piso do DIEESE (R$ 1.620,89 em fevereiro)!
É por isso que professores de todo o país fazem todo ano uma Marcha em Defesa da Educação Pública, cujo tema em 2007 é o piso salarial nacional. É falacioso falar em “novo século da educação” sem um salário dignos para os profissionais da educação. Se “
nada é mais importante hoje que a capacitação dos brasileiros para construir e consolidar participação do Brasil no mundo“, conforme disse o presidente Lula, é imprescindível que a tarefa seja feita por profissionais bem remunerados e qualificados (mas esse é outro capítulo a desenvolver!).

 

A absurda remuneração dos professores

Filed under: Educação — fragmentosmoveis @ 2:11 pm

Todos nós sabemos que professor ganha pouco.
Mas agora estamos sabendo que com o novo Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE), lançado hoje pelo governo Lula, os professores de educação básica “finalmente” terão um piso salarial de…. R$ 850,00!
Mas isso demorará para atingir todos os professores brasileiros. A implantação será gradual
até 2010, para não afetar o orçamento de Estados e prefeituras! Com isso, deverão ser prejudicados justamente os professores dos estados mais pobres, com orçamento menor.
É por isso que os professores estão em campanha pelo reajuste salarial imediato e pelo piso do DIEESE (R$ 1.620,89 em fevereiro)!
É por isso que professores de todo o país fazem todo ano uma Marcha em Defesa da Educação Pública, cujo tema em 2007 é o piso salarial nacional. É falacioso falar em “novo século da educação” sem um salário dignos para os profissionais da educação. Se “
nada é mais importante hoje que a capacitação dos brasileiros para construir e consolidar participação do Brasil no mundo“, conforme disse o presidente Lula, é imprescindível que a tarefa seja feita por profissionais bem remunerados e qualificados (mas esse é outro capítulo a desenvolver!).

 

A absurda remuneração dos professores

Filed under: Uncategorized — fragmentosmoveis @ 10:11 am
Tags:

Todos nós sabemos que professor ganha pouco.
Mas agora estamos sabendo que com o novo Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE), lançado hoje pelo governo Lula, os professores de educação básica “finalmente” terão um piso salarial de…. R$ 850,00!
Mas isso demorará para atingir todos os professores brasileiros. A implantação será gradual
até 2010, para não afetar o orçamento de Estados e prefeituras! Com isso, deverão ser prejudicados justamente os professores dos estados mais pobres, com orçamento menor.
É por isso que os professores estão em campanha pelo reajuste salarial imediato e pelo piso do DIEESE (R$ 1.620,89 em fevereiro)!
É por isso que professores de todo o país fazem todo ano uma Marcha em Defesa da Educação Pública, cujo tema em 2007 é o piso salarial nacional. É falacioso falar em “novo século da educação” sem um salário dignos para os profissionais da educação. Se “
nada é mais importante hoje que a capacitação dos brasileiros para construir e consolidar participação do Brasil no mundo“, conforme disse o presidente Lula, é imprescindível que a tarefa seja feita por profissionais bem remunerados e qualificados (mas esse é outro capítulo a desenvolver!).

 

Caetano de Campos quase foi demolido

Filed under: Uncategorized — fragmentosmoveis @ 1:00 am

A desativação do colégio para a construção da obra do metrô mexeu muito comigo na época. Comigo apenas, não. Acredito que muitos dos meus colegas compartilham o mesmo senstimento.
Nos anos seguintes eu li sobre o que acontecia, que havia uma ação popular visando a volta do colégio, mas eu era muito menina e não pude fazer nada. Gravei apenas um nome na memória: Dr. Modesto Carvalhosa.
Eis a história recuperada, através de uma matéria da Folha Online, por Sergio D´Ávila:

Visualize São Paulo sem o prédio do Caetano de Campos, na praça da República. Ou sem os Jardins. Ou sem o pouco que resta da serra do Mar. Entre os anos 70 e 80, um paulistano de bastos bigodes brancos, olhar suave e argumentação de tribuno romano teve a mesma visão e agiu para que ela nunca se concretizasse.
(…)
Em 1975, a gestão do prefeito Olavo Setúbal decidiu derrubar o prédio histórico de 1894, por onde passaram alunos como Mário de Andrade, Cecília Meireles e Sérgio Buarque de Holanda, para dar lugar a uma megaestação de metrô.

Carvalhosa [1] reuniu ex-alunos ilustres, e juntos entraram com mandado de segurança para impedir a destruição. Segundo recorda, conseguiram apoio dos jornais e da população mais ou menos ao mesmo tempo, e o movimento antidemolição cresceu. “Foi a primeira reação popular contra uma decisão do regime militar desde 1969“, contabiliza.

O juiz decidiu acatar o mandado, mas chamou antes o então secretário de Educação, ao qual o prédio era subordinado, para o prevenir da derrota. “Foi assim que nasceu o decreto que tombou o Caetano de Campos, em 1975, para evitar vexame maior“, relata.

[1] Modesto Carvalhosa, advogado especializado em direito societário, autor de livros sobre o tema, sócio de um escritório respeitado, professor da Faculdade de Direito da USP entre 1971 e 1985 e presidente do Condephaat entre 1984 e 1987. E ex-caetanista…que estudou entre 1945 e 1951.

Foto tirada em 2005.

 

Frases de Caio Fernando Abreu segunda-feira, 23 abril, 2007

Filed under: Caio Fernando Abreu,Literatura — fragmentosmoveis @ 11:52 pm

De repente tem um monte de gente que adora o C.F.A., infelizmente falecido há alguns anos e está usando duas frases no MSN. Caio foi um escritor adorado pela minha geração, nos anos 80. Um amigo que fazia História na USP chegou a conhecê-lo pessoalmente e o Caio até se encantou por ele, mas não foi correspondido.
O interessante é, porém, que os rostos desses fãs que se apresentam no Orkut, são de gente bem jovem.

Aqui uma seleção de frases usadas como “para-choque de MSN”:

  • A cada junho, sei que não suportarei o próximo agosto” (Maria)
  • E que uma palavra ou um gesto, seu ou meu, seria suficiente para modificar nossos roteiros.” (Adriane)
  • Boas e bobas são as coisas que penso quando penso em você.” (Azemar)
  • O infinito é nunca. Ou sempre” (Mariane)
  • Num deserto de almas também desertas, uma alma especial reconhece de imediato a outra.” (Neumara)

 

Uma forma de favorecer os grandes latifúndios? domingo, 22 abril, 2007

Filed under: Meio-ambiente — fragmentosmoveis @ 12:49 pm


Achei a notícia tão relevante que resolvi reproduzí-la abaixo. Só dá para concluir que a intenção é favorecer os grandes latifúndios.

Crédito da foto: www.cnpm.embrapa.br


Projeto exclui da Amazônia Legal MT, TO e MA

Notícia de 22.04.07 – Agência Estado

No momento em que a Organização das Nações Unidas (ONU) deflagra um debate sobre o aquecimento global e a situação climática no mundo, um projeto de lei que tramita no Senado promete esquentar ainda mais o debate no Brasil. Ele cria brechas para ampliar a derrubada da floresta amazônica e para regulamentar propriedades rurais, de produção de soja ou usadas na pecuária, com desmatamento acima dos 20% permitidos pela legislação.

Estados como Mato Grosso poderão, pelo projeto, reduzir à metade a área hoje considerada de preservação ambiental. O projeto do senador Jonas Pinheiro (DEM-MT), protocolado em fevereiro e já endossado com parecer favorável da Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo do Senado, prevê uma alteração no Código Florestal para excluir áreas de Mato Grosso, Tocantins e Maranhão da Amazônia Legal.

A situação seria mais crítica em Mato Grosso, Estado que lidera o desmatamento florestal no País e concentra a maior parte da Amazônia Legal fora da Região Norte. A transformação do projeto em lei facilitaria o serviço de regularização das áreas desmatadas, pois significaria transferir 54% da área de Mato Grosso, hoje dentro do bioma Amazônia e Amazônia Legal, para o bioma cerrado. De acordo com o Código Florestal, dos 906 mil quilômetros quadrados do território mato-grossense, 490 mil não podem ter mais que 20% de área desmatada. Os números mostram, no entanto, que o limite não é respeitado por madeireiros, pecuaristas e agricultores.

O senador Pinheiro admite que seu projeto é polêmico, mas diz que vai defendê-lo até o final. Contestando as informações do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Pinheiro sustenta que 60% de Mato Grosso não pertence ao bioma Amazônia. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.