Fragmentos Móveis

Na esteira da eleição das novas 7 maravilhas do mu… segunda-feira, 2 julho, 2007

Na esteira da eleição das novas 7 maravilhas do mundo, “o caderno Mais!, da Folha, realiza até quarta-feira, 4 de julho, a enquete “Sete Maravilhas“. Foram escolhidas sete áreas: arte, cidades, ciência, cinema, filosofia, internet e literatura. As indicações foram dadas por especialistas convidados pelo caderno. O resultado será anunciado na edição de 8 de julho.” (da Folha de S. Paulo).

Não apreciei todas as indicações, mas quem quiser vê-las ou votar pode acessar “Sete Maravilhas“.

Não sei porque Música ficou de fora. Há detalhes como em Arte uma das indicações ser da filmografia completa de um cineasta, o que seria redundante pois já há a categoria Cinema. Também faltaram links para ver ou conhecer melhor cada obra indicada, o que costuma existir na maioria das votações online bem produzidas.

Como cada lista de indicações veio de um especialista convidado, também caberia um link de referência do especialista.

Cidades
Cinema
Web
Literatura
Filosofia
Ciência
Arte

 

Filed under: Uncategorized — fragmentosmoveis @ 11:33 am
Tags: , , , , , ,

Na esteira da eleição das novas 7 maravilhas do mundo, “o caderno Mais!, da Folha, realiza até quarta-feira, 4 de julho, a enquete “Sete Maravilhas“. Foram escolhidas sete áreas: arte, cidades, ciência, cinema, filosofia, internet e literatura. As indicações foram dadas por especialistas convidados pelo caderno. O resultado será anunciado na edição de 8 de julho.” (da Folha de S. Paulo).

Não apreciei todas as indicações, mas quem quiser vê-las ou votar pode acessar “Sete Maravilhas“.

Não sei porque Música ficou de fora. Há detalhes como em Arte uma das indicações ser da filmografia completa de um cineasta, o que seria redundante pois já há a categoria Cinema. Também faltaram links para ver ou conhecer melhor cada obra indicada, o que costuma existir na maioria das votações online bem produzidas.

Como cada lista de indicações veio de um especialista convidado, também caberia um link de referência do especialista.

Cidades
Cinema
Web
Literatura
Filosofia
Ciência
Arte

 

A polêmica de Darwin ainda não acabou terça-feira, 19 junho, 2007

Filed under: Uncategorized — fragmentosmoveis @ 10:27 am
Tags: , ,

Quando eu tinha uns 6 anos e ia com meu pai à missa dos domingos na Igreja da Consolação eu o enchia de questionamentos:
– Será que foi assim, pai? Me explica. Será que o homem evoluiu do macaco e o primeiro homem foi Adão?
Ele tentava acompanhar a missa e eu tentava entender o universo. E o culpado da chateação no meio do sermão do padre era justamente ele, que tinha a contradição de ir à Igreja e ao mesmo tempo dar livrinhos de Ciências sobre dinossauros e a teoria de Darwin para mim.

Lembro disso ao ler e comentar o post do amigo Daniel Duende no Novo Alriada Express sobre a inauguração de um novo museu nos EUA. Diz a notícia da BBC:

Um polêmico museu que nega a teoria da Evolução e defende que o mundo foi criado segundo o que diz a Bíblia foi inaugurado na segunda-feira nos Estados Unidos, no Estado do Kentucky.

“O Museu da Criação custou US$ 27 milhões, pagos com verbas particulares da organização cristã Answers in Genesis (Respostas no Genesis), e visa, segundo sua página na internet, “demonstrar aos visitantes que a Bíblia é o verdadeiro livro de história do universo”, indo contra todas as teorias mais famosas da ciência que explicam a história do humanidade, como a Teoria da Evolução de Charles Darwin – que diz que o homem descende do macaco – e a teoria do Big Bang – que diz que o universo surgiu de uma grande explosão…”

Não muito longe, aqui em São Paulo, escolas protestantes adotam livros didáticos de Ciências que não são imparciais (apresentando as teorias criacionistas e evolucionistas). Alguns desses livros são elaborados por pessoas que fazem parte de associações criacionistas e apresentam exclusivamente essa teoria.

Assim, pense que esses jovens estudantes nunca irão com a escola numa excursão à Exposição “Darwin”, que está no MASP até 04/07/07.

Se Darwin enfrentou tanta resistência em 1859 quando publicou “A Origem das Espécies“, a exposição que já passou pelo Museu de História Natural de Nova York, vem agora reavivar a polêmica entre os evolucionistas e os criacionistas modernos que reavivaram a teoria do “design inteligente”.

Entre os defensores do “design inteligente”, no qual a evolução é guiada por uma força divina, está George W. Bush, que defendeu a inclusão dessa teoria no currículo escolar americano.

Resta passar a ficha técnica da exposição do MASP, que vem pela primeira vez ao Brasil e merece as 2 horas estimadas de visita: http://masp.uol.com.br/exposicoes/2007/darwin/

 

A ausência das disciplinas de Filosofia e Sociologia quarta-feira, 13 junho, 2007

Filed under: Uncategorized — fragmentosmoveis @ 8:56 pm
Tags: ,

No site Ação Educativa encontro uma discussão muito interessante sobre a ausência do ensino de sociologia e filosofia no ensino médio da rede pública estadual, fato que tem dificultado a atividade profissional de muitos docentes, sem falar que o fato afasta mais uma vez a possibilidade de formação mais crítica da juventude.

Ministério Público investiga ausência das disciplinas de Filosofia e Sociologia na rede pública de São Paulo

No dia 5 de junho o Ministério Público do Estado de São Paulo abriu um inquérito civil que irá investigar a ausência do ensino de sociologia e filosofia no ensino médio da rede pública estadual, determinado pelo artigo 36 da Lei de Diretrizes e Bases – LDB e pela resolução CEB/CNE no 04/2006 do Conselho Nacional de Educação – CNE. O inquérito resulta de representação feita no mês de março pelo programa Ação na Justiça da Ação Educativa.

Rafael Macedo, do programa Ação na Justiça, explica que após anos de discussão com a sociedade civil organizada, o CNE regulamentou o modo como essas matérias devem ser inseridas no currículo das escolas, já que o texto da LDB dava margem a diferentes interpretações. De acordo com a resolução, as escolas com organização curricular por disciplinas deverão assegurar a inclusão das matérias de Filosofia e Sociologia de forma independente, enquanto as demais deverão assegurar seu ensino de forma interdisciplinar.

Em São Paulo, o Conselho Estadual de Educação alega que o Estado não dispõe de recursos humanos e financeiros para implementar as disciplinas no prazo determinado pela resolução, que vence em agosto. Além disso, questiona a validade da resolução, alegando que há uma invasão de competências, como justificativa para a não inclusão das disciplinas.
“Analisamos o caso e concluímos que a alegação de que há uma invasão de competência não procede, queremos saber as verdadeiras causas da negligência do governo”, explica Macedo. “Com a abertura do inquérito, esperamos que o Ministério Público chegue às reais causas para o descumprimento da lei e tome as devidas providências”.