Fragmentos Móveis

TV Cultura completa 40 anos com programação histórica a partir do dia 15 sexta-feira, 12 junho, 2009

Filed under: Música,TV — fragmentosmoveis @ 7:31 pm
Tags: ,

Trajetória da emissora será relembrada com atrações que marcaram época na TV e no rádio
Há 40 anos, no dia 16 de junho de 1969, entrava no ar a TV Cultura de São Paulo, primeira emissora da Fundação Padre Anchieta. Começava entre os paulistas a televisão educativa, com a missão de disseminar cultura e informação, e contribuir para o fortalecimento da cidadania. Para comemorar a data, a Cultura leva ao ar, a partir de segunda-feira (15/6), programas que marcaram época.

Entre 15 de junho e 5 de julho, a Cultura exibe conteúdo retrospectivo em diversos programas, incluindo Metrópolis, Provocações, Zoom, Jornal da Cultura, Entrelinhas e Vitrine. Além disso, na terça-feira (16/6), as atrações infanto-juvenis que consagraram o canal e lhe renderam inúmeros prêmios, como Bambalalão, X-Tudo, Revistinha, Confissões de Adolescente e Vila Sésamo (gravado na década de 70), serão relembrados em mais de 10 horas de programação – das 8h às 19h15 – dedicadas às crianças e seus pais, que cresceram assistindo ao canal.

Na mesma data, o Jornal da Cultura começa a exibir um quadro de memória jornalística, com matérias que foram ao ar no mesmo dia, em algum ano das últimas quatro décadas.

Consagrados musicais da emissora também ganham espaço nessa retrospectiva. Na quarta-feira (17), às 22h10, o Ensaio apresenta um compilado com edições antológicas de três décadas do programa (1970, 1990 e 2000), incluindo a época em que a atração era chamada de MPB Especial. Histórias e canções de grandes nomes, como Elis Regina, Tom Jobim, Chico Buarque, Caetano Veloso, Maria Bethânia, Ney Matogrosso e Os Paralamas do Sucesso, podem ser revistas, sob o comando de Fernando Faro. E para o domingo, 5 de julho, o Viola, Minha Viola também prepara um especial, com destaques da atração comandada por Inezita Barroso desde 1980.

A partir do dia 6 de julho, até 2 de agosto, a faixa das 20h às 21h será ocupada pelo Festival 40 Anos. Neste período serão levados ao ar 28 programas – na íntegra ou trechos – gravados nos últimos anos, nas áreas de dramaturgia, musicais, cultura, infantis, jornalismo e educação, e dedicados aos diversos públicos.

Mas as novidades não param por aí. A TV Cultura também ganha novas vinhetas com o slogan Cultura 40 Anos, a TV que Faz Bem, além de programetes relembrando atrações e personalidades que ajudaram a escrever a história da emissora, intitulados A História da TV Passa por Aqui, que serão exibidos no decorrer da programação.

Nas Rádios Cultura FM e Cultura Brasil a festa continua com uma série de programetes, de até dois minutos de duração, sobre as atrações jornalísticas, musicais e culturais de maior sucesso da TV.

Fonte: TV Cultura

 

Trilha sonora das 8 quinta-feira, 19 março, 2009

Filed under: Parapeito de Papel — fragmentosmoveis @ 6:39 pm
Tags:

Depois reclamam da falta de empatia do público com o casal Maya e Bahuan!
Depois reclamam que não há química.
Só hoje a música tema do casal tocou umas 3 ou 4 vezes, porque era a véspera do casamento de Maya com Raj.
“Onde você estiver, não se esqueça de mim…”
Eu admiro Nana Caymmi, que inclusive não tem culpa da música dela ter sido escolhida, mas como trilha sonora seria mais apropriada para o casal que não chegou a se casar, Cadore e Cidinha, os adoráveis Elias Gleizer e Eva Todor! Ou para o futuro amor proibido de Opash e Chiara, que por enquanto só apareceu nas revistas de tv.
Cadê a inspiração do Mariozinho Rocha? Em épocas passadas ele costumava acertar mais na mosca.

 

Como salvar as novelas da Globo? terça-feira, 17 fevereiro, 2009

Filed under: Cultura,TV — fragmentosmoveis @ 1:26 pm
Tags: ,

O colunista do UOl, Ricardo Feltrin, publicou hoje que a Rede Globo está convidando jornalistas, publicitários, pedagogos e psicólogos para tentar descobrir formas de cativar os telespectadores que vêm se afastando cada vez mais de suas novelas.
Grupos de pesquisa com donas de casa ajudam a detectar personagens que não estão agradando e dificuldades de entendimento das tramas, por exemplo.

Creio que há outras formas de mensurar as razões dos fracassos de audiência.
Lendo alguns blogs, por exemplo, vi inúmeros comentários questionando a exposição da cultura indiana (“Caminho das Índias”), em vez da cultura nacional que tem uma riqueza regional ainda inexplorada, a não ser de forma estereotipada.

Alguns exemplos que os irritam e que acho que a Globo tenta ignorar:

  • semelhanças com a trama de O Clone, criando quase uma ponte aérea Rio-Marrocos (agora Rio-Dubai-Índia);
  • a novela vai abordar o casamento infantil – dizem que a prática já é proibida na Índia há 10 anos (mas o sistema de castas também foi retirado da Constituição, mas persiste na prática);
  • atores fazendo os mesmos papéis, sem nenhuma variação de interpretação (citam Vera Fischer e Caco Ciocler)

Outros exemplos que me irritam particularmente:

  • a personagem Duda é muito burra – namorando há 2 anos com Raj, ia casar-se com ele, mas não sabe nada da cultura dele. O risco do impedimento de casar com uma estrangeira não passava pela cabeça de nenhum dos dois? A prática dos pais escolherem a noiva e o noivo só conhecê-la depois não era do conhecimento dela.
  • a novela insiste em mostrar costumes indianos como superstições, causando uma impressão negativa no público. É exagerado que em quase toda cena apresentem algum costume dessa forma. Foram até tema de reportagem do Vídeo Show. Na prática, do ponto de vista antropológico, é um reforço do etnocentrismo ocidental. Todas as culturas possuem algum tipo de superstição. No entanto, as crenças tem que ser entendidas dentro do seu contexto. Mesmo se a autora da novela não teve essa intenção, é o que a edição da novela e a emissora tem transmitido.
 

Opinião dos indianos segunda-feira, 9 fevereiro, 2009

Filed under: Curtas,TV — fragmentosmoveis @ 10:54 pm
Tags: ,


Ainda não repercutiu na imprensa o que os indianos (principalmente os que moram no Brasil) estão achando da novela “Caminho das Índias”.
As novelas anteriores de Gloria Perez causaram reação nas comunidades cuja cultura foi mostrada em suas tramas, por exemplo, entre os ciganos e os marroquinos.

 

Males da novela das 8h quarta-feira, 3 dezembro, 2008

Filed under: Uncategorized — fragmentosmoveis @ 5:46 am
Tags:

Em geral na novela “A Favorita”, padece-se de um mal – muitas vezes grave, mas de 1 certo tipo de mal que envolve a vida de cada personagem.

Por exemplo, Catarina (seu marido), Cida (a traição à irmã no passado), Céu (o amor não correspondido de Cassiano), Alícia (o pai corrupto), Elias (a traição de suas mulheres), Augusto César (o abandono), Stela (o preconceito aos gays), Copola (a esposa megera), Irene (a nostalgia do passado), Flora (a assassina), Donatela (a vítima).

Mas a biografia de Lara, se olharmos bem friamente os fatos, é de uma “pobre menina rica” mesmo:
– Cresceu no meio de mentiras e ilusões;
– Foi retirada da mãe aos 3 anos de idade;
– Foi criada por seu verdadeiro pai, achando que ele era seu padrasto malvado;
– Sua mãe é uma assassina fria, seu pai verdadeiro é um cafajeste, seu avô paterno é um trambiqueiro, seu avô materno é viciado em jogos de azar;
– Sofre por achar que sua mãe adotiva era assassina e está morta;
– Herdou milhões de sua mãe adotiva, mas logo ela aparecerá viva;
– Sua rival está grávida de seu (rico, sem saber) namorado, e ela saberá disso em breve.

Ela é a verdadeira “favorita” das desgraças, a não ser pelo fato de que no final feliz da novela, a maldição se desfaz com a magia da proximidade da próxima novela: ela fica com o mocinho lindo, sensível e rico; ganha de volta a mãe que a ama de verdade; continua rica; livra-se de mãe assassina, pai e avô que não prestam; forma-se na faculdade e anos depois torna-se uma deputada engajada na luta pela preservação do ambiente (este último fato é uma contribuição aos autores da novela – exijo meu crédito!)

 

Beijos evitados, beijos estimulados quarta-feira, 28 maio, 2008

Filed under: Uncategorized — fragmentosmoveis @ 7:18 pm
Tags: ,

Enquanto a Rede Globo evita mostrar um beijo gay a cada novela das oito, o portal Globo.com quase todo dia publica uma foto de um beijo lésbico entre celebridades internacionais ou os tradicionais selinhos entre famosas heterossexuais brasileiras.

Vide Adriane Galisteu e Luiza Brunet na edição de hoje do site EGO.

 

O verdadeiro paraíso tropical quarta-feira, 25 julho, 2007

Filed under: Uncategorized — fragmentosmoveis @ 12:18 pm
Tags:

Percebo que o tema central de “Paraíso Tropical” é a prostituição. A guerra corporativa na rede hoteleira, o velho combate irmã gêmea boa-irmã gêmea má e os romances são apenas panos de fundo para a trama principal que vai envolvendo a maioria das famílias na prostituição.

Família de Paula: a mãe de criação era cafetina na Bahia e a gêmea Taís não hesita em vender seus serviços por 5 milhões;

Família de Otávio: o empresário mantém Bebel, uma prostituta exclusiva e a mãe Marion atua como cafetina de elite, agenciando companhias para executivos que lhes pagam em dinheiro ou caixas de bebidas finas;

Família de Neli: no passado namorou homem que se tornou cafetão e agora a filha Joana, desiludida com ex-namorado que era garoto de programa e estelionatário, descobre que o cafetão de Bebel é seu pai biológico e tentará ser garota de programa para agredir a mãe; do ponto de vista de Joana, a mãe também “vendeu” a outra filha, Camila ao genro rico;

Família de Antenor: na imprensa já saiu que o segredo do seu passado e razão do ódio ao pai é que Belisário explorava sua mãe como prostituta!

Essa será a trama vendida no exterior em futuro breve? O Brasil como paraíso tropical da prostituição?